Vândalos atacam túmulo de Chico Xavier


Um trincado e algumas marcas de pancadas apareceram nesta quinta-feira (18) no vidro blindado que protege o túmulo de Chico Xavier, situado no cemitério São João Batista, em Uberaba. As ranhuras fazem o filho adotivo do médium, Eurípedes Higino, pensar em ato de vandalismo, possivelmente motivado por intolerância religiosa. Após o incidente, Higino pretende instalar barras para reforçar a segurança do túmulo. O G1 entrou em contato com a assessoria da Polícia Militar e com a administração do cemitério, que afirmaram não ter registrado o ocorrido.

Eurípedes disse que pela manhã esteve no local e percebeu que a placa de identificação de um túmulo vizinho estava jogada próximo à sepultura do pai. Segundo ele, um jornalista de São Luís (MA) visitou o túmulo à tarde para uma pesquisa e percebeu o vidro danificado. 

"Eu levei duas senhoras de manhã para conhecerem o túmulo. Quando foi depois do almoço, deixei um rapaz do Maranhão na entrada. Ele logo voltou na minha casa e disse que tentaram quebrar, pois tinha até marcas de pé no vidro", disse..

Euripedes acredita que a pessoa que tentou destruir o túmulo utilizou peças de mármore soltas da sepultura vizinha. “Nessa altura, tanto pode ser atitude de drogados, como de intolerância religiosa. Eu pensava que o Chico era respeitado desde as periferias e por pessoas de todas as religiões”, afirmou.

Temendo por mais atos de vandalismo, Eurípedes disse que já chamou um serralheiro para orçar a implantação de grades.“Ele [Chico Xavier] brincava que eu teria mais trabalho depois da sua partida do que quando fosse vivo. Já roubaram coisas e uma senhora já disse que estava minando no túmulo, sendo que o Chico não era milagroso. Ele é igual a todos nós”, afirmou.
Segurança

De acordo com o diretor de cemitérios, Jaime Messias, o dano ao túmulo não foi comunicado à administração. Ele destaca que o cemitério é vigiado em tempo integral. “À noite, temos três guardas noturnos fazendo ronda. De vez enquanto, a Guarda Municipal passa e também faz ronda. Durante o dia, tem muitas pessoas no cemitério, como coveiros, lavadores de túmulo. Todos eles são vigilantes também, pois trabalham cuidando de tudo lá”, explicou.
Visitas e história

De acordo com o Ministério de Turismo, semanalmente, o túmulo e o museu de Chico Xavier recebem 2.500 visitas. Nascido em Pedro Leopoldo, o médium residia em Uberaba desde 1959. Chico Xavier morreu no dia 30 de junho de 2002, aos 92 anos.

Reprodução.