Mercado de livros espíritas cresce 85% em uma década

Imagem: Google.com
Livrarias, lojas de conveniência, restaurantes à beira da estrada, catálogos de produtos, bancas de revistas e e-commerce. Os livros espíritas ganharam espaço e visibilidade fora das casas dedicadas ao Espiritismo. Esse boom do mercado editorial religioso caminha na contramão da crise e traz um fôlego às editoras. Na última década houve um crescimento em torno de 85% no volume de livros e audiovisuais espíritas comercializados.

Além do salto quantitativo, o mercado qualificou-se alcançando novas e mais elaboradas vias de comercialização, ou seja, deixou de ser um produto restrito às casas espíritas. Há ressalvas, porém, quanto a títulos que realmente estejam alinhados aos preceitos da doutrina codificada por Allan Kardec e que arrebanha 3,8 milhões de seguidores no Brasil, segundo o último censo do IBGE.

O pesquisador Ivan Franzolim, autor da obra “Análise do Mercado Editorial Espírita”, calcula que são mais de cinco mil títulos e que houve um aumento das editoras que publicam os livros espíritas. “Isso é bom e é ruim. É bom porque proporciona maior divulgação da doutrina. É ruim porque as editoras selecionam as obras pela capacidade de venda e não pelo conteúdo doutrinário. Assim, muitas obras apresentam ideias e raciocínios que conflitam com o conhecimento espírita das obras de Allan Kardec”, destaca.

A procura por títulos espíritas se dá pelo interesse das pessoas sobre o sobrenatural, a vida espiritual e a morte. A literatura espírita reúne contos, romances, estudos, meditações e preces. Segundo levantamento do Grupo Candeia, que possui uma das maiores distribuidoras de livros do gênero do País, os leitores são predominantemente mulheres (63%), na faixa etária de 30 a 65 anos.

Depois dos romances, as psicografias são as preferidas. São narrativas transmitidas pelos espíritos por meio de um médium. A região que concentra mais leitores de livros do gênero é a Sudeste, compreendendo 66% do consumo, seguida pelo Nordeste (13%) e Sul (12%). Ricardo Pinfildi, à frente da Candeia, explica que nestes 20 anos de atividade distribui títulos espíritas de mais de 150 editoras. “O resultado desse crescente interesse tem fomentado cada vez mais novas produções espíritas”, destaca.